‘O propósito de Deus era que nós, os primeiros a confiar em Cristo, louvássemos a Deus e lhe déssemos glória. ‘
Efésios 1:12
O sentido de toda a criação é glorificar a Deus. Até os céus proclamam a glória de Deus (Salmos 19:1). Nós, seres humanos, não somos diferentes. Nascemos com esse único sentido de glorificar o nosso Criador.
Cada segundo da nossa vida deveria ser um ato que glorifica o nosso Senhor. Todos os nossos atos, em cada passo que dermos, cada batida do nosso coração, devem terminar em uma adoração que rende glórias ao Deus, Todo Poderoso.
O nosso único esforço deveria ser para dar essa glória. Nosso suor, nossos pensamentos deviam ser com esse sentido. Devíamos andar ansiosos e preocupados se estamos conseguindo glorificar o nosso Pai, que está nos céus, a todo momento. Se comemos, se bebemos, deveríamos nos examinar constantemente para medirmos se estamos fazendo tudo isso para glória de Deus (1Coríntios 10:31).
‘Ele me disse: “Você é meu servo, Israel, e me trará glória”. ‘
Isaías 49:3
Mas falhamos. Fomos destituídos da única coisa que deveríamos fazer, que é, dar glórias a Deus (Romanos 3:23). No meio de nossas preocupações da vida, sonhos, circunstâncias, constantemente nos esquecemos que a glória é, somente, de Deus (1Crônicas 29:11).
Mas o que enxergamos nas Escrituras Sagradas é que Deus nunca quis que dessemos glória Ele por meio do nosso próprio esforço, mas pela graça, em Cristo Jesus. Esse foi o seu plano desde a eternidade (2Timóteo 1:9).
Porque Ele, mesmo sendo Deus, não considerou que ser Deus fosse algo que devesse se apegar. Antes, esvaziou-se de si mesmo, veio como escravo assumiu a forma humana. Quando veio em forma humana, humilhou-se e foi obediente até a morte, e morte de cruz (Filipenses 2:6-8).
Cristo esvaziou-se de sua glória para que pudéssemos dar glórias ao Pai. Não damos glórias a Deus por nosso próprio esforço, mas, porque o Filho se entregou para a glória de Deus Pai (Filipenses 2:11). Não somos nós que decidimos quando glorificaremos a Deus, mas é Ele quem afirma que somos os teus servos e o traremos glória (Isaías 49:3).
Esse é mais um paradoxo da criação de Deus. Deus nos fez para sua glória, mas Ele esvaziou-se de sua glória por nós. Fomos criados para a glória de Deus, mas, porque formos criados, Deus teve que se esvaziar de sua glória. Isso tudo, por sua própria e soberana vontade.
Mas podemos encontrar sentido nisso em Cristo Jesus. Por que, agora, até a nossa glória a Deus depende Dele. Porque Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas (Romanos 11:36).
Essa é a causa de Cristo em nossas vidas. Ele é o motivo e a consequência de tudo. Ele é o início, o meio e o fim das nossas vidas. O caminho, a verdade e a vida (João 14:6).
Perdemos a esperança, porque perdemos o sentido das nossas vidas, que é glorificar a Deus. Mas Cristo se nos deu, para restaurar esse sentido. Por que Cristo em nós, é a esperança da glória (Colossenses 1:27).
‘Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém!’
Romanos 11:36
Siga o autor desse artigo no instagram, não custa nada: https://www.instagram.com/daniel_acaz/
Para continuar lendo outros artigos: https://medium.com/viva-e-eficaz
reflexões das Sagradas Escrituras que singularmente é viva e eficaz.



reflexões das Sagradas Escrituras que singularmente é viva e eficaz.
Written by
A sinner looking for repentance | Software Engineer | Theology and technology passionate | Lover learn about development and science
reflexões das Sagradas Escrituras que singularmente é viva e eficaz.

source