‘Jesus respondeu: “Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus’ ”. ‘ Mateus 4:4
O Evangelho de Matheus, no capítulo 4 (assim como o Evangelho de Marcos 1:12–13 e Lucas 4:1–13), descreve o momento em que Jesus Cristo estava no deserto e foi tentado por Satanás.
Muitas vezes, por sabermos que Cristo era plenamente Deus, negligenciamos o fato de que Ele estava lutando contra os desejos de sua natureza humana. Jesus estava sem comer havia 40 dias e Satanás lhe oferece pão (Mateus 4:3). Jesus estava com fome (Mateus 4:2).
Satanás, naquele momento, estava oferecendo algo que, aparentemente, não era um pecado cometido contra a lei de Deus. O jejum de Cristo já durava tempo suficiente. Que mal haveria, Cristo comer pão.
Mas a oferta de Satanás escondia uma armadilha fatal para o ministério de Cristo. Satanás colocava em dúvida a identidade do nosso Salvador. No começo de sua fala, Satanás diz: “se és o Filho de Deus” (Mateus 4:3).
Satanás não estava apenas oferecendo um alimento para um homem faminto. Ele estava induzindo Cristo a querer provar, por sua própria vontade, a sua divindade.
Satanás sempre fez isso. Ele faz isso desde o Éden. O homem cai, porque cai na armadilha de que o Maligno estava o oferecendo apenas um alimento (Gênesis 3:6). Na verdade, o que Satanás queria era fazer com que homem pensasse que poderia provar ser como Deus com seu próprio esforço, conhecendo o bem e o mal (Gênesis 3:5).
Jesus tenta nos ensinar, através de sua tentação, como podemos não cair nas armadilhas que Satanás tenta plantar na nossa mente.
Cristo era a Palavra de Deus encarnada (João 1:1). Tudo o que Deus criou, Ele criou com a sua Palavra (Gênesis 1:3-26). Sem a sua Palavra nada do que foi feito se fez (João 1:3). O próprio Deus poderoso dizia para que todos ouvissem a Cristo (Lucas 9:35). E é através da sua Palavra que Cristo purifica e lava a Sua Igreja (Efésios 5:26).
É importante entendermos plenamente como Jesus Cristo era integralmente a Palavra de Deus porque entendemos que tudo o que Ele falava, se tornava, Palavra do próprio Deus. Assim como Deus é eterno, as Suas palavras eram de vida eterna (João 6:68). Mas, Cristo sendo a Palavra de Deus encarnada, podendo gerar Palavras de Deus para combater a tentação de Satanás, preferiu apontar para aquilo que já estava escrito (Matheus 4:4).
Jesus poderia gerar algo novo para combater a tentação de Satanás. Ele poderia falar qualquer coisa, que seria a Palavra de Deus. Mas Ele preferiu apontar para o que já era Palavra de Deus. A Palavra de Deus escrita e inspirada pelo Espírito Santo (2Timóteo 3:16) era suficiente.
O Messias nos ensina que não precisamos de uma revelação nova para combatermos as tentações de Satanás. Que não precisamos de técnicas mirabolantes para não deixarmos Satanás nos confundir. Precisamos apenas saber o que está escrito nas Sagradas Escrituras.
Mas, aquilo que é a solução para vencermos a tentação, pode se tornar o nosso problema quando não sabemos o que realmente as Sagradas Escrituras dizem. Porque, Satanás, ao perceber que Jesus usava o que estava escrito para combater suas tentações, começa a tentar Jesus Cristo, também, dizendo: “está escrito” (Mateus 4:6).
Isso não é uma desculpa para fugirmos das Escrituras e tentarmos vencer as tentações com o nosso próprio esforço. Muito pelo contrário, é uma demonstração da importância de termos um conhecimento sólido sobre o que a Palavra de Deus nos ensina de maneira geral e também em seus detalhes.
Cristo demonstra a importância de nós realmente termos profundidades nas Sagradas Escrituras, porque Ele não muda o seu discurso. Nosso Salvador continua apontando para a Palavra Escrita para combater até os versículos que Satanás usava para tentá-lo (Mateus 4:7).
Quando temos um conhecimento superficial das Sagradas Escrituras, quando não estamos em comunhão com a nossa igreja local que nos ajuda a crescer no conhecimento da Palavra, ou quando não permitimos sermos guiados por nossos pastores na devoção da leitura das Escrituras, nos tornamos reféns das mentiras que Satanás cria usando, até mesmo, parte da Palavra de Deus.
Jesus Cristo era a Palavra Encarnada mas para vencer a tentação preferiu apontar para a Palavra Escrita, para que pudéssemos aprender a apontar para ela quando estivermos sendo tentados.
Isso destaca a importância de estarmos buscando profundidade na Lei do Senhor, porque, foi através dela que Cristo nos ensinou a lutarmos contra a tentação.
Que possamos estar profundos de Gênesis até Apocalipse para que Satanás não venha confundir nossa mente com trechos isolados e fora de contextos da Palavra de Deus.
Que a Palavra de Deus possa estar dentro do nosso coração e da nossa mente (Jeremias 31:33) e que, através do Espírito Santo, ela possa ser viva e eficaz nas nossas vidas (Hebreus 4:12).
‘Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.’
2 Timóteo 3:16–17
Siga o autor desse artigo no instagram, não custa nada: https://www.instagram.com/daniel_acaz/
Para continuar lendo outros artigos: https://medium.com/viva-e-eficaz
reflexões das Sagradas Escrituras que singularmente é viva e eficaz.



reflexões das Sagradas Escrituras que singularmente é viva e eficaz.
Written by
A sinner looking for repentance | Software Engineer | Theology and technology passionate | Lover learn about development and science
reflexões das Sagradas Escrituras que singularmente é viva e eficaz.

source