“Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá.” Êxodo 20:12

Você sabe o que significa honrar?
Segundo o dicionário informal, honrar significa respeitar, amar, cuidar, proteger, obedecer.
Você honra alguém? Alguém para você é digno de honra?
Você considera os seus pais as pessoas mais indicadas para serem honradas por você?
Muitas pessoas dirão que sim, e falarão emocionadas de suas relações de intimidade, afeto e amor com seus pais, mas muitas outras não experimentaram bons momentos em família, não querem nem ouvir falar de seu pai, sua mãe…
Se você se enquadra nesta categoria, gostaria de lhe fazer algumas perguntas: É injusto ter pais ausentes? É triste ver famílias reunidas e a sua não? É revoltante lembrar que você foi desrespeitado (a), abandonado (a) por alguém que devia te proteger? É difícil querer colo, abraço e cuidado e não ter?
Imagino que muitas de suas respostas são sim. E não estão errados. Segundo a nossa justiça é mesmo muito injusto. Mas e a justiça de Deus? Quem poderá conhecer Seus mistérios?
Seria bem difícil honrar estes pais não é? Injusto talvez, não?
Passei muito tempo pensando assim, foram longos dias até conseguir abrir mão da minha justiça e entender os planos perfeitos de Deus.

Fui deixada na porta de uma família dentro de uma caixinha de papelão, era noite, tarde… Aquelas pessoas nem se sentiram seguras para abrir àquela batida na porta… Mas abriram e decidiram me amar, quando aprendi a falar chamei aquele homem e aquela mulher como pai e mãe.

Um dia, quando ainda criança, soube da minha “historinha”, cresci e sempre lidei com isso “numa boa”. Quando os problemas surgiram, a rejeição que eu sentia me inflamava e só conseguia me ver como vítima de uma tremenda injustiça. Como honrar pais que me abandonaram? Como honrar pais que não me entendiam?

Conheci o Senhor, mas continuei amargurada por alguns anos da minha vida, até que chegou o dia escolhido para que eu pudesse entender: “Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti. Isaías 49:15.

E Ele não esqueceu, o Senhor não se esqueceu de mim. Parecia que os meus olhos tinham-se aberto naquele momento. Entendi que Deus já me conhecia quando eu ainda estava no ventre da minha mãe, permitiu que ela me entregasse a alguém ao invés de me deixar morrer, permitiu que eu O conhecesse antes da minha nova família para que eu pudesse testemunhar dEle na minha casa. Quando eu entendi isso, eu entendi que o amor dEle me alcançou, entendi que Cristo já foi esmagado, pisado, ferido e crucificado por mim e por aquelas pessoas que me abandonaram. E por mais que eu considerasse injusto, elas nunca poderiam pagar esse preço, era alto demais, só Deus poderia, e já pagou! Então… pedi ao Espírito Santo de Deus para me ajudar a perdoar, a amar, Ele se inclinou para mim e hoje testemunho esse amor. Fiz a minha escolha, decidi amá-los, decidir amar a minha família e honrar os meus pais. Foi uma das escolhas mais sábias da minha vida!

Sei que é difícil obedecer nos dias de hoje, tudo parece tão “normal”. Essa é a mentira que o mundo conta, que não precisamos de relações de amor com os nossos pais, que eles não são merecedores de honra, mas uma porta de acesso a essa disposição está no fato de PERDOAR e decidir AMAR.

Pense nisso!
Até a próxima..