Você pode dizer: “Tenho permissão para fazer qualquer coisa.” Mas respondo: “Nem tudo é bom para você.” E mesmo que ‘eu possa fazer qualquer coisa’, não devo me tornar escravo de nada.” (1 Coríntios 6:12 – NLT)

Um jovem atlético estava diante de seus colegas. Um pedaço comum de linha de costura foi cortado de um carretel e enrolado uma vez em torno de seu tronco e braços e amarrado. Ele foi convidado a se libertar. Como um jovem Sansão em treinamento, ele quebrou facilmente o fio enrolado em torno de si. Os colegas do jovem brincaram com ele: “Oooooohhhhhhh”, eles gritaram em coro.

Um pedaço mais longo de fio foi enrolado em torno do jovem. Desta vez, o fio foi enrolado em seu corpo três vezes. O jovem, novamente, foi convidado a se libertar de seus laços. Desta vez, foi preciso um esforço real, mas ele se libertou dos fios. Mais uma vez, seus amigos zombaram, “Woohoo!” O jovem fez uma pose de vencedor em resposta.

Finalmente, um último e longo pedaço de linha foi cortado do carretel e enrolado no jovem. Desta vez, o fio foi enrolado uma dúzia de vezes ao redor de seu corpo. Desta vez, enquanto tentava se libertar, ele lutava e lutava e não conseguia. Seus amigos o aplaudiram. Logo, os aplausos se tornaram risos. Este jovem não conseguiu quebrar o fio e finalmente desistiu.

Essa história pode servir como um bom aviso para nós sobre o poder dos maus hábitos. Maus hábitos são formados pela repetição. Como um corpo envolvido em um único fio, comportamentos negativos ou destrutivos não são tão difíceis de parar. No entanto, assim como vários segmentos são cada vez mais difíceis de se libertar, à medida que comportamentos são repetidos, os maus hábitos se tornam cada vez mais difíceis de parar – e têm cada vez mais poder sobre nossos desejos e escolhas.

Não se engane pensando que comportamento negativo ou destrutivo não é grande coisa. Se você não tomar cuidado, esse mau hábito pode envolvê-lo de uma maneira que dificulta a libertação.

Gálatas 5:1 – “Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.

FICANDO MAIS PROFUNDO:

1. Que hábitos você formou e que está achando difícil de quebrar? Que medidas você pode tomar para ajudá-lo a escapar?

2. Por que nos permitimos desenvolver maus hábitos, mesmo quando sabemos que eles são prejudiciais?

LEITURA ADICIONAL:

Tiago 1: 13-15
“Quando alguém for tentado, jamais deverá dizer: “Estou sendo tentado por Deus”. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta.
Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido.
Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz o pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte.