Sign in
Antonio Carlos Costa
1 hour ago·2 min read
Todos os que me acompanham nas redes sociais, lives, pregações e manifestações públicas sabem que sou oposição ao governo Bolsonaro. Como o faço?
1. Procuro basear em fatos tudo o que falo;
2. Organizo atos públicos;
3. Concedo entrevistas;
4. Uso extensamente as redes sociais;
5. Busco com avidez informação (assino dois jornais, acompanho as redes sociais e consulto minhas fontes);
6. Converso com as pessoas buscando persuadi-las.
Quero Bolsonaro democrática e pacificamente fora da presidência da República.
O que jamais faria para alcançar esse objetivo?
1. Partir para a militância armada, usar qualquer espécie de violência e trazer transtorno à ordem pública;
2. Burlar as regras do jogo democrático;
3. Obstruir o funcionamento das instituições do estado democrático;
4. Disseminar informações falsas;
5. Associar-me a pessoas que anelam por uma guerra civil.
Jamais entenderei o apoio que Bolsonaro recebe. Mas, saber que vivo num país no qual as pessoas têm o direito de ir às ruas a fim de defender o que repudio é motivo de satisfação para mim. Por isso, quero as ruas livres, no dia 7 de setembro, para as manifestações em favor do Bolsonaro.
Aquilo com o que não concordarei jamais é a atitude antidemocrática e selvagem, que mata, fere, paralisa o país, aprofunda a crise de desemprego, desorganiza a sociedade e faz o Brasil passar para o mundo a imagem de uma nação que ainda não passou pelo processo civilizatório.
Fundador da ONG Rio de Paz, teólogo e jornalista.



Fundador da ONG Rio de Paz, teólogo e jornalista.

source