Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Gálatas 5:22,23

Deveria ter sido fácil. Eu estava a caminho de um compromisso, peguei um caminhão a minha frente e após a ultrapassagem dei de frente com um carro em baixa velocidade e ainda por cima travando minha ultrapassagem, dei seta para que deixasse eu passar a frente, insistiu em não mudar de faixa, logo em seguida um farol amarelo, que duraria uma eternidade, o humilde carro a minha frente preferiu parar antes, e quando vi já estava irado, perdendo meu senso de valores e querendo tacar fogo no carro da frente, e durante os 2 minutos que esperava o farol me veio o que talvez eu possa chamar de uma luz do espirito santo dizendo você se irou e perdeu a razão por tão pouco. E nesse instante desejei ser mais paciente.

Todos nós temos coisas que provocam nossa impaciência. Talvez para você seja o trafego, trabalho, amigos, filhos, atrasados, pais ou seu namorado (a). Mas, o que é o combustível da nossa impaciência em nossas vidas? Eu acho que existem três grandes inimigos da paciência:

  1. Sobrecarga: Nós tentamos empilhar nossas atividades em nossas agendas e isso resulta em um estilo de vida sem margem. Ele não nos deixa espaço para respirar. Então, quando nos encontramos correndo, gera impaciência. Quando se vive uma vida sem margem, qualquer pequena má gestão ou circunstancia não prevista, pode resultar em uma perda de paciência.
  2. Expectativas irreais: Muito de nos colocamos grandes expectativas em pessoas próximas a nos. Normalmente essas pessoas são nossos amigos íntimos, pastores, namorado (a), pais, filhos. Então, quando eles não vivem ou suprem nossas expectativas, ficamos impacientes. Mas, a verdade é que as pessoas podem não viver muitas das expectativas que NOS colocamos sobre elas. As pessoas não são perfeitas e, mais cedo ou mais tarde, ele não vão suprir nossas expectativas.
  3. Orgulho: O orgulho sobe sua cabeça feia sempre que é desafiado ou contrariado. Quando nos egoistamente achamos que merecemos ser tratados melhor que recebemos, nossos egos inflam e nossa impaciência domina. No caso que citei lá em cima do carro, foi meu orgulho que desperto toda a ira.

Eu gostaria que houvesse respostas mais fáceis para enfrentar os inimigos da paciência. Mas, essas são questões que a maioria dos cristãos continuam a lutar por toda a vida.

Precisamos prosseguir em direção ao reino de Deus em nossas vidas, e dizer  ” todavia não se faça a minha vontade, mas a tua.” Quando fazemos isso, nós começamos a ver novas opções de como podemos responder. Nós vemos que não temos de andar lado a lado com os inimigos da paciência. Quando alguém bate na nossa cara, podemos transformar e dar-lhe a outra face. Quando alguém quer nossa camisa, nós podemos oferecer-lhe o nosso casaco também. Quando alguém nos obriga a andar um km em seu nome, podemos caminhar um segundo km voluntariamente.

Cada dia que enfrentamos escolhas onde vamos abraçar os inimigos da paciência ou abraçar o reino de Deus. Ao buscarmos Seu reino, a paciência cresce. Nossa paciência nos muda, e muda os outros também. Hoje, optar por permitir que Deus reine em você, é fazer crescer o fruto da paciência em sua vida.

SE QUESTIONE:

  1. Na maioria das vezes, o que desencadeia a sua impaciência?
  2. Em que circunstâncias você vai precisar dizer ” todavia não se faça a minha vontade, mas a tua” hoje?

LEITURA ADICIONAL:

Mateus 5: 43-48; Mateus 6: 9-10, 33-34; Provérbios 14:29; Efésios 4: 2