Sign in
Antonio Carlos Costa
Just now·2 min read
Pedro negou a Cristo. Declarou que não mantinha nenhuma relação com o condenado político. Judas traiu, vendeu e tramou a morte do seu melhor amigo
Pedro e Judas tiveram destinos diferentes. Pedro chorou, sofreu, confessou e refez sua relação com quem o convidara para transformar o mundo.
Judas se enforcou.
Quero me dirigir hoje a quem está passando por uma fase de muita vergonha com a sua própria vida. Você se encontra diante de duas opções: em meio às lágrimas de arrependimento, crer no triunfo do amor que perdoa, no poder que transforma e no Cristo que não desiste de amar.
A segunda opção é enforcar seus sonhos de fazer o bem pela humanidade, crer num Cristo-Diabo e dizer para o mundo que a Lei sempre triunfa sobre o amor que perdoa.
Anos depois de haver contemplado o oceano do amor divino que Jesus lhe revelou ao perdoá-lo, Pedro declarou: “E o Deus de toda a graça, que em Cristo os chamou à sua eterna glória, depois de vocês terem sofrido por um pouco, ele mesmo irá aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar vocês”.
Fundador da ONG Rio de Paz, teólogo e jornalista.



Fundador da ONG Rio de Paz, teólogo e jornalista.

source