Enquanto eu estava sentado na sala de espera cirúrgica, tive tempo para pensar, eu tinha recebido recentemente a notícia que meu único irmão, muito jovem havia tinha “morte cerebral”.

Neste dia, estava a espera de notícias sobre minha esposa, que estava passando por um procedimento cirúrgico sério, eu esperei e escutei a voz calma de Deus.

De repente, a notícia ”O cirurgião queria me ver, eu fui para uma sala isolada para esperar e em cima da mesa, tinha duas caixas de lenços, visivelmente disponíveis. Eles não eram para gripe, eles eram para frases duras e frias, como a que eu ouvi quando meu irmão morreu – Não há nada que possamos fazer, ele teve morte cerebral.

Nesses momentos de tristeza ou de incerteza, a honestidade dos Salmos tornou um lugar natural para mim. Salmo 31 era o grito do coração de Davi, que sofreu tanto que ele escreveu, “Minha vida é consumida pela angustia” (Sl 31:10), sou motivo de ultraje para os meus vizinhos e de medo para os meus amigos; os que me veem na rua fogem de mim (Sl 31:11).

Mas Davi tinha um alicerce de fé no único Deus verdadeiro, “Mas eu confio em ti, Senhor, e digo ‘Tu és meu Deus’. O meu futuro está nas tuas mãos; livra-me dos meus inimigos e daqueles que me perseguem” (Sl 31:14-15). Seu lamento conclui com uma grande esperança “Sejam fortes e corajosos, todos vocês que esperam no Senhor” (Sl 31:24)

Mas desta vez na sala de espera, o cirurgião me deu boas notícias: Minha esposa poderia ter uma recuperação completa, mas, mesmo se ela não tivesse ficado “Bem”, nossas esperanças ainda permaneceriam nas mãos de Deus.

Senhor, nos damos-lhe o nosso mais profundo pesar, bem como a nossa maior alegria. Obrigado pela sua presença constante, não importa o que acontece mas sei que o Senhor permanece fiel e conosco!

Quando colocamos nossos problemas nas mãos de Deus, Ele coloca a Sua paz em nossos corações.

Texto extraído do Out Daily Bread, escrito por Tim Gustafson e adaptado por Kaio Henrique