Um soldado levando-o enquanto uma multidão enfurecida ria do homem cujo o rosto estava coberto de sangue, as canas pareciam tão real que, no silencio do teatro, eu me encolhi e fiz uma careta como se pudesse sentir a dor em mim mesmo, mas está era só uma reconstituição do sofrimento de Jesus por nós em um teatro.

Lembrando do sofrimento de Jesus, Pedro escreveu: “Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos. ” (1 Pedro 2:21).

O sofrimento vem em diferentes formas e intensidade, é de se esperar que o nosso não seja tão intenso quanto o experimentado por Paulo, que por amor a Cristo foi açoitado com varas, apedrejado, preso, atacado por bandidos e ele também suportou fome e sede. (2 Coríntios 11:24-27)

Da mesma forma, podemos não sofrer como aqueles que suportam a perseguição severa em culturas onde o cristianismo não é bem-vindo.

No entanto, de uma forma ou outra, o sofrimento vira ao nosso caminho, quando negarmos a nós mesmos, suportarmos o assédio, insultos, ou nos recusarmos a se envolver em atividades que não honram o Senhor e também exercitando a paciência, evitando a vingança, e perdoando uns aos outros, a fim de promover boas relações são formas de seguir os Seus passos.

Sempre que nos depararmos com o sofrimento, devemos lembrar o que Jesus sofreu por nós.

O que você aprendeu sobre Deus através de suas provações?

A escola dos sofrimentos nos ensina lições que não poderíamos aprender em nenhuma outra sala de aula.

Texto extraído do Out Daily Bread, escrito por Lawrence Darmani e adaptado por Kaio Henrique