Dia a dia

Eu escolhi Cristo.

Como jovens, pensamos na dificuldade de ser fiel a essa verdade citada acima, lembramos logo das tentações em que nos sentimos em uma encruzilhada, nos martirizamos quando fracassamos. Lembramo-nos de como a luta é diária e constante, não só contra o pecado, mas contra nossos medos, nossas debilidades em relacionamentos, nossas crises de identidade e que muitas vezes temos que lidar com o sentimento de impotência diante de todo este cenário.

Uma história que me anima muito, não só sobre ser melhor e ter força para escolher Cristo, mas ter a certeza de que Cristo me escolheu e mesmo diante dos meus fracassos em escolhê-lo, Ele permanece ao meu lado, é a história de Pedro citada no livro de Mateus 14: 23-32

Pedro não era tão jovem de idade, mas de espírito sim. Era impetuoso, ousado, corria riscos, desbravador, emocional, disposto, questionador, inconstante, enfim, muitas características que refletem o perfil de uma juventude. Somado todos estes fatores, aquela era uma oportunidade ímpar de viver uma aventura, andar sobre as águas.

Com certeza ele nunca tinha visto ninguém fazer isto antes, muitos nunca fariam isso nem em sonho. Ele sabia dos riscos, afinal por mais que soubesse nadar, em alto mar não há garantia de horizonte. Mas há um fator importantíssimo nesta história, que não tem haver com acertar ou fracassar, mas sim em estar perto de Jesus. Bastou o Mestre aparecer fazendo algo nada comum que Pedro mesmo sendo questionador, não duvidou que ele pudesse fazer também. Ofereceu-se, deu o primeiro passo, esperou o sim de Jesus: -Me chama para ir ter contigo. Ou seja, não importa se é um mar que nos separa, não importa o tamanho dos riscos, eu quero é estar perto de ti. Jesus, admirado pela confiança entregue, pelo desejo súbito de estar com Ele, pela nada avaliação dos ricos e toda a confiança no amigo, disse com toda força: – Vem!

Ele sempre tem o novo, o louco, o inesperado, o nada comum, o surpreendente para aqueles que se lançam em confiança, e escolhem a qualquer preço, mesmo que este preço seja a morte. Neste caminho, pode haver fracassos, assim como Pedro afundou, mas também há o resgate, há o perdão, há um caminho de retorno, há uma graça redentora que nos traz a tona, a novos desafios, novas estradas e novos riscos. E mesmo que falhamos, o que vai provavelmente acontecer muitas vezes, Ele continua nos escolhendo para estar perto dEle. Por isto eu escolho Cristo!

Beijos
Ate proxima!

Abençõe outras pessoas:

Deixe uma resposta

Theme by Anders Norén

RECEBE MAIS TEXTOS COMO ESSE NO SEU E-MAIL

NÃO PERCA A CHANCE DE SER ABENÇOADO!!