Quando nos voltamos contra Deus, nosso orgulho, nosso desejo de prevalecer, nosso sentimento de paz, nossa segurança e nossa luta são simplesmente em vão.

O Senhor leva o homem para o jardim que ele plantou. Mas o homem não deu ouvidos à Palavra de Deus, preferindo a tentadora da serpente. Assim, ele perdeu aquele jardim e viveu no deserto.

O jardim da vida se transforma em deserto quando o homem prefere ouvir outras vozes que não a de Deus.

O mundo, nossas cidades e nossos corações muitas vezes são semelhantes a um deserto porque preferimos as sugestões da serpente à Palavra de Deus.

Assim, nos encontramos nus de afeto e de dignidade. E como Eva e Adão fizeram, cada um culpa o outro para se salvar.

Quando alguém não ouve o Senhor, mesmo os mais íntimos tornam-se inimigos entre si. E a vida se torna um deserto dominado pelo antigo tentador.

 Ele continua a exortar os homens a ouvirem a si próprios mais do que ao Senhor, a acusarem-se uns aos outros em vez de se amarem.

Mas Jesus veio a este deserto, entrou para nos mostrar até onde vai o seu amor. Aqui ele, como nós, se submete às tentações.

O que é tentar a Deus?

Cada um de nós nasce com os próprios pensamentos, que funcionam como um guia para nos dizer o que é correto e o que é errado.

No entanto, se fizermos intencionalmente o que sabemos ser incorreto, esperando que o Senhor nos abençoe e perdoe o tempo todo pelo que sabemos ser pecado, então estamos tentando.

Quando tentamos, temos essa atitude: quero a bênção de Deus em minha vida. Mas também quero fazer a minha vontade, sucumbir aos desejos da carne.

Eu me permito fazer o que sei que não é bem visto aos olhos de Deus.

Ou talvez eu até pense “Vou pedir perdão para livrar minha consciência.” Quando tenho esse pensamento, estou tentando o Senhor porque quero sua graça e, por outro lado, continuo a pecar por vontade própria.

É apenas um ato de egoísmo, de quem não vive inteiramente a palavra de Deus e de quem ainda não entendeu os desígnios de Deus para sua vida.

Lidar com as tentações

Se Jesus tivesse respondido às três tentações do diabo de outra maneira, não teríamos nem a cruz nem o Cristianismo.

É uma questão de escolher que tipo de Messias se tornar, que tipo de homem se tornar.

As três tentações fazem-nos rever o mundo das relações: a relação comigo mesmo e com as coisas; com Deus, por meio de um desafio aberto à fé; e, por fim, com os outros.

A primeira tentação

A primeira tentação: “Se você é o Filho de Deus, diga a essas pedras para se tornarem pães!”.

 O pão é um bem fundamental para a vida, mas Jesus nunca buscou o pão em seu proveito, fez-se pão, alimento para todos.

E responde jogando pelo lado positivo, oferecendo mais vida: “O homem não viverá só de pão, mas de toda palavra que sai da boca de Deus”.

O pão é bom, o pão lhe dá vida, mas mais vida sai da boca de Deus, de sua boca saiu a luz, a criação.

A segunda tentação

A segunda tentação: “Então o diabo o levou à cidade santa, colocou-o no ponto mais alto do templo e disse-lhe:“ Se és o Filho de Deus, lança-te no chão; com efeito, está escrito: ‘Ele dará ordens aos seus anjos a seu respeito e eles o levarão nas mãos, para que o seu pé não tropece numa pedra’.

Jesus respondeu-lhe: “Também está escrito: ‘Não porás à prova o Senhor teu Deus”. “Abaixe-se para que possamos ver os anjos descendo para nos salvar.”

O diabo nos tenta, ele se apresenta como um amigo, como alguém que quer ajudar Jesus a fazer melhor o Messias.

E aqui está a resposta de Jesus: não tente a Deus, pelo que parece a maior confiança na Providência e, pelo contrário, é apenas a sua imitação, porque é apenas a busca do próprio proveito.

Muitas vezes não confiamos em Deus, queremos apenas explorá-lo, queremos um Deus ao nosso serviço.

A terceira tentação

Na terceira tentação: “De novo o diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e sua glória e disse-lhe: “Tudo isso te darei se, atirando-te aos meus pés, tu vais me adorar. “

Então Jesus respondeu-lhe: «Vai-te, Satanás! Na verdade, está escrito: “O Senhor teu Deus, tu adorarás: só a ele você vai adorar”.

O diabo levanta a aposta novamente: adore-me e eu lhe darei todo o poder do mundo.

Mas Jesus não procura homens para dominar, ele só quer filhos que sejam livres e amados, ao serviço de todos e sem dono. Para Jesus, todo poder é idolatria, desprezo, ódio. “E eis que os anjos vieram e o serviram.”

Deus está conosco, por que se voltar contra ele?

Deus está entre nós e connosco, ou entre nós que vivemos aqui nesta terra e neste preciso momento.

Ele está connosco, é um companheiro inseparável de cada um de nós, sempre pronto a ajudar-nos, a confortar-nos, a resistir às tentações.

Ele nos ajuda a levantar a a cada queda. Mas não é um Deus que se coloca no nosso lugar, que toma o nosso lugar, desobrigando-nos da responsabilidade de avaliar, decidir, escolher e resolver problemas que não somos capazes de resolver por nós mesmos.

Parece um esclarecimento óbvio, mas não é, se considerarmos que mesmo os sujeitos com elevada espiritualidade muitas vezes cometem o erro de invocar o Senhor para libertá-los de todas aquelas tentações que prejudicam sua força espiritual.

Mas então há muitos santos que gostariam de ser removidos de suas imperfeições, seus limites, suas necessidades físicas, para acelerar seu encontro com Cristo em uma condição de amor absoluto e muito puro.

E ainda mais numerosos são os outros que, oprimidos pelas inquietações e angústias quotidianas, pedem a Deus que proteja as fontes de tanto sofrimento e as transforme em fontes de inesgotável serenidade.

Mas, como ensina a Sagrada Escritura, o Senhor está com as suas criaturas, não em seu lugar. Acompanha-as no árduo caminho que devem percorrer para alcançar a meta, sem contudo os isentar de o fazer.

Apoia-os contra os perigos e sofrimentos de todos os tipos, mas não os isenta de experimentar seu peso dramático.

O Senhor salva senão no cansaço e na dor, porque a vida, a vida eterna está além da morte, mas nasce da morte.

Crer na palavra de Deus

O que mais é o relato do Evangelho sobre as tentações de Jesus, senão um lembrete do trabalho interminável de colocar nossas decisões e escolhas em ordem?

Como Jesus, também nós somos tentados a preencher nossas vidas com bens materiais, colocando a Palavra de Deus em segundo plano.

Para nos confiarmos a um Deus mágico sempre ao nosso serviço, para buscar o poder ou o sucesso, embora de maneiras muito sutis.

No entanto, está escrito: “Não tente o Senhor seu Deus”.

Sei que o Senhor está e estará comigo, mas não posso esperar que ele seja como eu gostaria e me conceda tudo o que peço.

Nos diferentes contextos existenciais, é assim e deve ser assim para cada um de nós. Não devemos distorcer nossa fé, não devemos nos cansar de orar apenas, mesmo que a resposta de Deus pareça lenta.

Não devemos tentar o Senhor nosso Deus, mas devemos nos comprometer seriamente a ser melhores do que somos, quaisquer que sejam nossas limitações, implorando a misericórdia divina, certos de que mais cedo ou mais tarde o Senhor nos poderá recompensar pela nossa espera corajosa e prolongada.

As tentações na Bíblia

Lucas 4: 1-13

1  Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi conduzido pelo Espírito ao deserto por quarenta dias, onde foi tentado pelo diabo.

2  Durante aqueles dias, ele não comeu nada; e ele estava com fome.

3  O diabo disse-lhe: “Se tu és o Filho de Deus, manda que esta pedra se transforme em pão”.

4  Jesus respondeu-lhe: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem.

5  O diabo o fez subir, mostrou-lhe em um momento todos os reinos do mundo, e disse-lhe:

6 “Eu te darei todo esse poder e a glória desses reinos; porque foi dado a mim, e eu dou a quem eu quiser.

7  Portanto, se você se curvar para me adorar, será todo seu”.

 8  Jesus respondeu-lhe: “Está escrito: ‘ Adora o Senhor teu Deus, e só a ele prestas a tua adoração .”

9  Então o levou a Jerusalém, colocou-o no pináculo do templo e disse-lhe: “Se és o Filho de Deus, lança-te daqui;

10  Porque está escrito: ” Ele dará ordens aos seus anjos a seu respeito, para protegê-lo”

11  e ” Eles o levarão nas mãos, para que você não bata em uma pedra com o pé .”

12 Jesus respondeu-lhe: “Foi dito: ‘ Não tentes o Senhor teu Deus”.

13  Então o diabo, tendo acabado com toda a tentação, afastou-se dele até um momento.