Todos nós gostaríamos, neste mundo cheio de tribulações, de experimentar uma paz interior para trazer serenidade à nossa existência.

Às vezes, as feridas da vida nos fazem saborear uma sensação de solidão e abandono que sufoca a nossa espiritualidade, quando não se baseia na certeza da presença de Deus.

A vida cristã é uma luta. Paulo nos convida, na carta dos Efésios, a vestir a armadura de Deus para lutar com aqueles que querem nos afastar do nosso caminho de seguimento de Cristo.

Nesse contexto, devemos nos esforçar para adquirir e manter a paz de espírito.

Deus está sempre conosco

A paz é fruto de nossa luta espiritual, mesmo quando perturbada por nossas quedas. Ela permite não desanimar diante das circunstâncias, sabendo que o amor de Deus nunca nos abandona.

Mesmo que você pense que está só e abandonado, não está, porque Deus está sempre conosco.

Ele nos ama e, quando sentimos isso em nossos corações, percebemos que a paz  essencial é aquela que vivemos com Ele. E todas as outras formas de paz dependem de cuidar dessa paz, que nasce em uma relação íntima com Deus.

Quando estamos perto Dele, nossa paz é preservada, pois quem tem paz é quem entra em comunhão com Deus, quem aceita ser amado por Deus.

A paz de um homem pode ser profunda e duradoura se a sua vontade mais profunda estiver inteiramente orientada para Ele, para permitir que a sua graça nos conduza aos poucos à plenitude.

Portanto, esta paz é um sentimento interior que nos faz sentir em harmonia com nós próprios e com os outros, é a tranquilidade do coração e da alma, serenidade, bem-estar interior, sensação de realização.

Sentimos todas essas sensações internas, apesar dos problemas e dificuldades. Mesmo no meio da tempestade e das provações, a paz interior estará conosco.

Só confiando verdadeiramente a Deus por meio de Jesus Cristo podemos experimentar a sua paz na nossa vida.

A paz de Deus

Talvez tenhamos nos desviado do caminho que conduz à paz e achemos necessário fazer uma pausa para refletir sobre os ensinamentos de Deus e decidir incorporá-los em nossos pensamentos e ações, para sermos melhores discípulos de Cristo.

A paz no mundo, embora seja uma causa nobre, é apenas o fruto da paz interior que cada um de nós procura encontrar.

Não estamos falando da paz promovida pelo homem, mas da paz prometida por Deus, da paz em nossas casas, em nossos corações, em nossas vidas.

Dessa forma, a raiva não resolve nada. Não constrói nada, mas pode destruir tudo. As consequências de diversos conflitos são devastadoras.

Qual é a maneira de obter esse benefício universal? Em que condições podemos encontrá-lo?

Lembremos que, para obter a paz de Deus, devemos observar as leis de Deus.

Numa ocasião importante, Jesus citou uma passagem de Isaías:

“O espírito do Senhor do Senhor está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para levar boas novas aos humildes; enviou-me para amarrar os corações partidos, para proclamar a liberdade aos cativos, para abrir a prisão aos presos”.

É uma declaração clara de paz que ultrapassa gerações.

Para os aflitos, a promessa de paz de Cristo é um bálsamo consolador que cura.

A paz de Deus na Bíblia

A maioria das pessoas chamaria a ausência de estresse e ansiedade de “paz de espírito”.

Na Bíblia, há uma referência a “paz de espírito” em II Coríntios 2:13, na qual Paulo diz que não tem “paz de espírito” porque não encontrou Tito em Trôade. A expressão literal é “descanse em meu espírito”.

A Bíblia usa a palavra paz de maneiras diferentes. Às vezes paz, refere-se a um estado de amizade e intimidade com Deus.

Esta paz entre um Deus santo e a humanidade pecadora foi estabelecida pela morte de Cristo, “tendo feito a paz pelo sangue da sua cruz” (Colossenses 1:20).

Além disso, como Sumo Sacerdote, o Senhor Jesus mantém esse estado de amizade em nome de todos os que “chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles” (Hebreus 7,25).

Esse estado de intimidade com Deus é um pré-requisito para o segundo tipo de paz, aquele que às vezes se refere a uma mente tranquila.

Somente quando “temos paz com Deus por Jesus Cristo nosso Senhor” (Romanos 5: 1) é que podemos experimentar a verdadeira paz de espírito, que é fruto do Espírito Santo.

Em outras palavras, Isaías 26: 3 nos diz que Deus nos mantém em “paz perfeita” se nossas mentes “confiarem” Nele. Isto é, se apoiarem Nele, centrarem-se e confiarem Nele.

Nossa tranquilidade mental depende de quanto a mente repousa em Deus, em invés de em nós mesmos ou em nossos problemas.

Sentimos paz quando acreditamos no que a Bíblia diz sobre a proximidade de Deus, como no Salmo 139: 1-12. Sua bondade e poder, Sua misericórdia e amor por Seus filhos, Sua total soberania sobre todas as circunstâncias da vida.

Mas não podemos ter fé em alguém que não conhecemos e, portanto, é essencial conhecer profundamente o Príncipe da Paz, ou Jesus Cristo.

Sentimos paz como resultado da oração. “Não vos inquieteis de nada, mas em tudo façam conhecer a Deus os vossos pedidos, com oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que ultrapassa todo o entendimento, guardará os vossos corações e mentes em Cristo Jesus” (Filipenses 4: 6-7).

O propósito de Deus em nossas vidas

Uma mente e um coração pacíficos são consequência de reconhecer que um Pai Onisciente e amoroso tem um propósito para nós, mesmo em nossas dificuldades.

“Agora sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, que são chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8:28).

Deus pode nos dar uma variedade de coisas boas, incluindo paz, a partir das aflições que experimentamos. Até mesmo a disciplina e o castigo do Senhor produzirão “um fruto pacífico de justiça” em nossa vida (Hebreus 12:11).

Eles fornecem uma nova oportunidade para “ter esperança em Deus” e, finalmente, “louvá-lo” (Salmo 43: 5).

Eles nos ajudam a consolar outros quando são submetidos a tais provações (2 Coríntios 1: 4), e produzir para nós um peso eterno imensurável e excelente de glória (2 Coríntios 4:17).

A paz de espírito e a tranquilidade de espírito que nos acompanha são alcançáveis ​​somente quando experimentamos a verdadeira paz com Deus, por meio do sacrifício de Cristo na cruz como expiação por nossos pecados.

Aqueles que tentam encontrar paz nas atividades terrenas ficarão desapontados. Para os cristãos, porém, a paz de espírito é alcançável por meio de conhecimento profundo e total confiança em Deus, que suprirá “todas as suas necessidades segundo as suas riquezas na glória, em Cristo Jesus” (Filipenses 4:19).

Orar para ter a paz de Deus

Quem entre nós, diante de uma dificuldade muito grande, não sentiu a própria pequenez?

Acredito que todos nós, em algum momento de dor, oramos quase com uma sensação de desespero, e também já tivermos dúvidas de que Deus estava nos ouvindo.

Contudo, não podemos ter verdadeira paz em nossos corações a menos que saibamos que Deus certamente está ouvindo nossas orações.

Quando estamos reunidos em nome de Jesus, o próprio Jesus está presente conosco. O Criador de tudo responderá às nossas orações. O Rei dos Reis estará presente conosco.

Devemos entender que para estar em harmonia não deve haver divisões ou choques. Se você esconder em meu coração até mesmo um pequeno rancor contra seu irmão, não poderá orar em harmonia com Ele.

Visto que Jesus nos promete que Deus responderá aos pedidos feitos por dois ou mais crentes quando eles concordarem em oração, o que devemos fazer?

Claro, é vital que cada crente ore muitas vezes por conta própria. No entanto, é igualmente importante que, como crentes, oremos juntos, pedindo a Deus as mesmas coisas, estando de acordo.

A oração é uma arma poderosa para obter vitórias na guerra espiritual em que nos encontramos.

Orar nas dificuldades

A Bíblia, em vez de prometer tirar toda provação e toda dificuldade, nos ensina que Deus permite até mesmo Deus enviar provações e dificuldades porque são parte de Sua obra perfeita em nós para nos fazer crescer à imagem de Jesus Cristo .

Repetidamente, Jesus nos ensina que devemos orar em Seu nome.

Veja a passagem de João 14:13. “E tudo o que você pedir em meu nome, eu farei; para que o Pai seja glorificado no Filho”.

João 16:24. “Até agora vocês nada pediram em meu nome; peça e receberá, para que a sua alegria seja completa”.

Então, precisamos entender o que Jesus quer dizer quando diz para orar em Seu nome para que nossas orações sejam respondidas.

Orar  com humildade

Uma condição para ter nossas orações respondidas é orar com um coração humilde.

Aqueles que oram verdadeiramente sabem que não merecem o que pedem a Deus. Ele sabe que não tem nada a oferecer a Deus e não pode orar em seu próprio nome.

Portanto, ele deve ter um coração humilde. Muitas passagens explicam que devemos nos aproximar de Deus com humildade.

“Se o meu povo, sobre quem é chamado o meu nome, se humilhar, orar, buscar a minha face e se desviar dos seus maus caminhos, eu os ouvirei do céu, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra” (2 Cron. 7:14).