Desde que nascemos, com raras exceções, temos o desejo de ser independentes. A parte mais difícil da infância é obedecer ao que não entendemos, coisas que não fazem sentido aos nossos olhos, que são tão simples, por que não, podem desencadear sentimentos de raiva e pior de rebeldia.

Quando chega a adolescência esses sentimentos se intensificam, passamos a ter consciência de quem somos, a de que nossos pais e professores falham, juntamente com a formação da autoimagem e autoafirmação e enfim quando nos tornamos adultos se torna imprescindível o domínio de nossas vidas.

Ter a situação financeira sob controle, a segurança de nossos familiares e bens, a certeza de que estamos guardados por um bom plano de saúde, um seguro de vida, por um plano de previdência e uma certa reserva de economia, nos trazem a falsa sensação de paz e tranquilidade.

Não há nada de errado em ser planejado e prudente, muito antes pelo contrário, o que não podemos é depositar nossa confiança nessas coisas e esquecer que o comando de todas as coisas está em Deus.

Quantas vezes deixamos escapar o controle e nos vemos totalmente vulneráveis diante de doenças, do tempo, do trânsito ou circunstâncias? Por mais que tentemos antecipar situações e até mesmo pessoas, de uma hora para outra nos vemos onipotentes diante das coisas mais simples da vida.

A bíblia nos ensina “lançando sobre Ele nossa ansiedade porque Ele tem cuidado de nós”, essa deve ser nossa primeira atitude, entregar em oração, e não a última, já em desespero. Cada escolha, entregar ao Senhor, e depois fazer o que está ao nosso alcance, pois o possível cabe ao homem, e o impossível à Deus.

Temos que saber nosso lugar de servo no Reino de Deus, o servo não questiona ordens, não toma decisões, segue a vontade do seu Senhor. Somos filhos, através de Jesus, herdeiros desse Reino, mas ele mesmo nos ensinou na oração: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje (Mt 6:10-11). Se ele, como Filho, não usurpou desse privilégio, mas se esvaziou e assumiu lugar de servo (Fl 2:5) para cumprir seu propósito e sua missão, nós também devemos assumir nossa condição e deixar Deus comandar de verdade nossa vida.

Jargões como: “Deus é fiel”, #Deusnocomando, devem ser mais do que palavras ditas, mas vividas por nós. E vamos crescendo de glória em glória, de fé em fé, e experiências vividas nos darão a certeza que precisamos. Diante do gigante Davi declarou ao rei Saul: Teu servo toma conta das ovelhas de seu pai. Quando aparece um leão ou um urso e leva uma ovelha do rebanho, eu vou atrás dele, atinjo-o com golpes e livro a ovelha de sua boca. Quando se vira contra mim, eu o pego pela juba, atinjo-o com golpes até matá-lo. Teu servo é capaz de matar tanto um leão quanto um urso; esse filisteu incircunciso será como um deles, pois desafiou os exércitos do Deus vivo.”1 Sm 17:34-36 (NVI)

Vencer o urso e o leão mostrou a Davi que Deus era com ele, e não temeu diante do gigante. Pequenas experiências nos conduzem às vitórias cada vez maiores, e mesmo quando tudo parecer contrário, lembremos esse mesmo Deus está no comando, descansemos sabendo que sua boa, perfeita e agradável vontade são infinitamente melhores que as nossas e nos conduzirão a um futuro glorioso. “Porque eu bem sei que pensamentos tenho sobre vós, diz o Senhor, pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais” Jr 29:11