Ateísmo é a negação na existência de divindades ou de qualquer experiência transcendental. Igualmente, o ateísmo só acredita naquilo que pode ser provado pela ciência e, desse modo, rejeitam os fenômenos baseados numa crença subjetiva. Ateísmo é uma palavra que deriva de ateu. Por sua vez, está tem sua origem do grego atheos, ou seja, “sem deus” (prefixo “a” indicando negação + “theos”, que significa Deus). Mais de 2,5% da população mundial considera-se ateia, enquanto 11,9% afirma não possuir religião.

Ghandy num contexto onde os indianos estavam sendo massacrados pelos ingleses que se diziam cristãos, foi questionado por um inglês porque ele não cria em Cristo. Ghandy respondeu: “No vosso Cristo eu Acredito. Eu não creio no seu cristianismo”.

Pense comigo: Quem vive como se Deus não existisse? O que se diz ateu, mas socorre os que lhe pedem ajuda e que serve as pessoas nas suas diversas dificuldades ou o pastor que tem um caso com a esposa do presbítero de sua igreja? Quem vive como se Deus não existisse? O que se diz ateu mas ama o próximo ou o sacerdote padre que abusa sexualmente de um menino? Quem vive como se Deus não existisse? O que se diz ateu e é honesto em seus negócios, paga corretamente os seus impostos ou o líder de uma denominação que vive do ministério e que sai na lista dos mais ricos do país?

Na história, muitos ateus foram forjados no contexto religioso judaico-cristão( Nietzsche, Marx, Freud e outros). Pois, o apego aos sacrifícios e ritos em detrimento a vida humana, a falta de amor e uma boa dose de hipocrisia com discurso distante da prática por parte principalmente dos líderes, os ateízou. Passaram a não crer no deus que a sua religião demonstrava.

Diante disso , quando se fala de ateísmo na contemporaneidade, é preciso saber de qual  “deus” a gente está falando. De algum deus do chamado paganismo ou do deus de boa parte dos adéptos do movimento sociológico religioso evangèlico?

Ao olhar para os Evangelhos e pensar sobre o Deus ensinado e revelado em Jesus de Nazaré, fica difícil acreditar no deus que está sendo pregado hoje em muitas igrejas, por muitos pastores, seja em discurso, seja em estilo de vida. Penso que ser ateu nesse contexto é não seguir o fluxo da religião cristã hegemônica no nosso país. É não se vê como fruto da indústria e do mercado religioso. É não crer no “deus” caricato criado pela religião de homens gananciosos. Basta crer na simplicidade e basicalidade do Evangelho da graça de Jesus para ser considerado ateu em muitas igrejas contemporâneas.

Pense nisso. (PC)